Cmara de Rondonpolis - 16/10/2017

Ildon Pereira dos Santos, “Tomate” – comerciante

16843 acessos


Com mais de 25 anos de experiência no comércio, o nosso entrevistado desta semana, Ildon Pereira dos Santos, popularmente conhecido como “Tomate”, compartilhou histórias e falou sobre os desafios no ramo. Conhecido desde os 13 anos por “Tomate”, ele conta que desde a infância mora na região da Vila Operária, assim, como os cinco irmãos e os pais, e ressaltou que a região passou a ser valorizada ao longo dos anos. Há sete anos, abriu a conveniência no bairro Vila Mariana, a qual segue uma jornada de trabalho de terça-feira a domingo, das 8h às 22h. O comerciante ainda conta os clientes que frequentam sua conveniência são considerados como amigos. Confira abaixo o que rolou deste bate-papo:
1. Fala um pouco sobre sua família.
Meus pais são aposentados, hoje eles são separados, mora um de cada lado da conveniência. Eu sou o mais novo de cinco irmãos, todos moram na região da Vila Operária. Sou casado e tenho um filho que tem 11 anos.
2. Há quanto tempo trabalha no ramo?
Eu comecei aos 16 anos a trabalhar em um supermercado, como trabalhei muito tempo com isso aprendi a entender o comércio. Passado um tempo, decidi que não queria mais trabalhar como funcionário e resolvi montar meu próprio negócio, então há sete anos já tenho a conveniência.
3. Qual a sua avaliação do comércio nos últimos anos?
Piorou, por conta da crise e também por conta da concorrência, hoje ninguém quer trabalhar para os outros, estão abrindo seus estabelecimentos, especialmente, conveniências. Nestes dois últimos anos, não foi muito bom para nós, mas a esperança que melhore.
4. Qual o estilo de cliente que você recebe no estabelecimento?
Eu tenho um público bem diversificado, de toda a classe, desde o mais simples trabalhador até doutor. Tenho amigos que frequentam que são advogados, donos de empresas, políticos... Eles não são simplesmente clientes, são amigos ou se tornam, eu prezo muito por isso.
5. Quais os principais assuntos que rolam nas mesas?
Eles gostam de conversar de tudo um pouco, falam sobre política, esporte, questão econômica do país.
6. Qual época do ano você tem mais clientes?
Os clientes mantém uma constância, mas o fluxo maior é no fim de ano, quando vem mais pessoas para a cidade.
7. Em média, quantas horas você trabalha por dia?
Normalmente abre às 8h e segue até às 11h, depois abro às 13h e fecho às 22h. Cerca de 12h por dia.
8. Você como morador da região, acha que a Vila Operária teve uma valorização nos últimos anos?
Sem dúvidas, a exemplo de toda a cidade que cresceu demais, a região passou a ser mais valorizada, passou a contar com mais representantes, principalmente políticos, avalio que teve um crescimento de 30%. A Vila Operária passou a ter uma certa independência, mas ainda precisa muito de Rondonópolis, já fui favorável a emancipação, mas a região precisa criar uma estrutura para caminhar com as próprias pernas, então hoje não seria viável. É como um comércio, não é fácil no começo e tem sido difícil também o depois.
9. Qual atividade se dedica no tempo livre?
Eu tenho praticado ciclismo, três vezes na semana. Quando você trabalha no comércio tem pouco tempo para o lazer, então quando posso, estou pedalando.


Comente, sua opinião é Importante!