José Cardoso Aparecido – Rondonopolitano de nascimento, na infância nadou e pescou nas águas límpidas do Rio Arareau

1211 acessos


José Cardoso Aparecido, é natural de Rondonópolis, nasceu no dia 21 de Abril de 1952, seu pai João Cardoso, veio da Bahia para a terra de Rondon, onde conheceu Benedita Cardoso Lomeu. O casal teve 10 filhos, Maria, Carlindo, Enedina, Eunice, Alci, Oraci, Ivo, Nilson, Valdenice e José. Zezinho é casado com Ana Rita Clara Cardoso,ambos tem três filhos, Reginaldo, Ronaldo (primeiro suplente de vereador), e Ricardo. Vamos conhecer um pouco mais do cidadão, muito querido, e chamado por todos de seo Zezinho.
Jornal Folha Regional;
Como era a cidade de Rondonópolis nas décadas de 1950 e 1960?
Zezinho; Rondonópolis ainda era pequena, tinha a Av. Marechal Rondon, que quando chovia era um atoleiro, muitas trilhas, mato e poucas casas. Presenciamos também a travessia da balsa, na qual eram colocados caminhões, carros, cavalos e carros de bois.
JFR; Quais as lembranças que mais marcaram a sua infância?
Zezinho; Eu tive uma infância muito feliz, me lembro de alguns amigos, a exemplo do Valdete, que nos dias de hoje trabalha na prefeitura de Rondonópolis, Jamil que é polícia civil, o Nilson Cardoso que hoje é empresário, e alguns que já não estão mais entre nós, Gatinho, Goiano e Carlinhos. Tenho lembranças do primeiro barco a motor que navegou nas águas do Rio Vermelho, era de propriedade do navegador Chapuri. O nosso lazer era a pescaria e a natação no Rio Arareau, onde havia muitos peixes; Pintado, Surubi, Pacu, Giripóca, e Jurupensem (também conhecido como Bico de Pato). Nós não arriscávamos nadar no Rio Vermelho, porque a água era pesada, e a correnteza muito forte, desde a infância sempre tivemos muito respeito pelo Rio Vermelho.
JFR; Quais eram os meios de subsistência das famílias naquela época?
Zezinho; A nossa família era bastante unida, nós tínhamos uma chácara na região da Vila Mamed, onde instalamos um engenho para moer cana, a minha mãe fazia rapaduras e melado. Tínhamos uma boa clientela, além da plantação de mandioca, frutas e verduras. Meus pais construíram uma cerâmica que produzia tijolos visando especialmente o crescimento da cidade. E assim, meus pais contribuíram desde o começo com o desenvolvimento de Rondonópolis. Nós agregamos ainda como subsistência a pesca, e naquela ocasião nós aproveitávamos também para vender.

JFR; Diante do seu pioneirismo, como o senhor vê o processo político administrativo rondonopolitano ?
Zezinho; Ronodonópolis, teve um crescimento extraordinário, na minha opinião todos os prefeitos que administraram a cidade fizeram de certa forma a sua parte. Mas eu gostaria de citar, três grandes prefeitos que tivemos, o primeiro foi Carlos Bezerra, ele construiu as primeiras pontes de concreto. Muitas ruas do centro foram asfaltadas, postos de saúde e escolas municipais foram instaladas no centro e nos bairros. Incentivou a organização das associações de moradores. Criou novos bairros e construiu várias casas a exemplo da residencial Colina Verde e Cascata. Rondonópolis teve outros dois grandes prefeitos que ajudaram a concretizaram a força progressiva da cidade, falo de Adilton Sachetti e Percival Muniz. Ambos revolucionaram a cidade, colocando-a em destaque nacional no desenvolvimento industrial.
JFR; Para finalizarmos a nossa entrevista, as pessoas imaginam que o senhor é funcionário de carreira da prefeitura de Rondonópolis, fale um pouco sobre essa questão;
Zezinho; Eu sou micro-empresário e presto serviços para a prefeitura há 24 anos, a minha esposa também é empresário e atua no ramo alimentício. Adoramos esta cidade, somos muito felizes aqui, tenho muitos amigos, agradeço a todos.







Comente, sua opinião é Importante!