Marcílio da Silva Tomaz – Fundador da Sub-Delegacia do Trabalho em Rondonópolis

1232 acessos


“Passei por esta terra de Rondon em 1964, aqui vi muitas características e semelhanças com cidades do interior de São Paulo.”

Marcílio da Silva Tomaz é natural de Águas Claras, interior de Mato Grosso do Sul onde passou a infância. De família humilde, seus pais Sebastião Tomaz (saudoso) e Aurora da Silva Tomaz trabalharam na zona rural e faziam parte do grupo de pessoas que eram conhecidos com bóias frias. E nessa profissão criaram 6 filhos Marley, Mauro, Manoel , Sergio e Marcílio. O advogado e jornalista Dr. Marcílio é casado com Abigair de Brito Ferreira , duas filhas completam a felicidade do casal, Elena que trabalha no grupo de transportes Mafro, e Laiz farmacêutica da Drogaria Buriti. Vamos conhecer um pouco mais da trajetória do cidadão Marcílio, que entre as suas múltiplas funções, se aposentou como Auditor Fiscal do Trabalho.


Jornal Folha Regional;

O senhor passou por inúmeros segmentos de trabalho, incluindo atividades profissionais na educação e no setor jurídico. Mudou-se de Águas Claras MS, e veio para Mato Grosso em busca de melhores oportunidades, como foi essa experiência?

Dr. Marcílio;

As minhas atividades e formação profissional foram intensas e tiveram inicio na cidade de Cáceres onde primeiramente servi o Exército, especificamente no Batalhão de Fronteiras, onde permaneci de 1967 a 1969, passando depois a 16º. Batalhão de Infantaria, e hoje 44 Bis. Após dar baixa no quartel do, me aprofundei nos estudos, entrei na Escola Técnica de Cuiabá onde me formei em Contabilidade. O meu primeiro contrato de trabalho foi como Contador do Grupo Itamaraty no setor agro industrial, onde permaneci de 1981 a 1984.

JFR; O senhor teve algum fato marcante durante a sua passagem pelo Exército Brasileiro?

Dr. Marcílio; A vida militar ainda que vivida ativamente por pouco tempo, nos dá as bases para a nossa formação de cidadania. O que aprendemos durante a disciplina militar sem dúvida levamos para a vida inteira. A passagem pelo EB foi marcante, e sempre tem uma grande influência na formação do caráter, e na disciplina pessoal. Depois de ter dado baixa no Exército, em 1973 entrei na Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso. Trabalhei ainda na CASEMAT, e na PRODECAP em Cuiabá.



JFR; O senhor foi aprovado em concurso da UFMT onde exerceu a docência, o que representou esse momento na sua vida?

Dr. Marcílio; No ano de 1975 eu havia prestado concurso para UFMT Campus de Cuiabá, e fui aprovado, desta forma iniciei a minha carreira de professor universitário dando aulas de Contabilidade.

JFR; Quais os motivos que o levaram a vir para Rondonópolis?


Dr. Marcílio; Eu vim para Rondonópolis para dar aula no Campus da UFMT, continuando assim a minha trajetória. Cheguei aqui no dia 05 de Abril de 1985, esta cidade sempre teve algo especial, não somente por ser um pólo regional, mas pela sua vocação para o crescimento e para o progresso . Aqui se abriram novos horizontes pessoais, não só para o meu trabalho, mas para toda a minha família.

JFR; O Direito falou mais alto que a Contabilidade, como o senhor explica essa mudança?

DR. Marcílio; Ainda em 1997 me matriculei no CESUR no curso de Direito e terminei em 2001. Em 2003 comecei a advogar na área do trabalho patronal. Posteriormente fiz Mestrado no período de 04 de março de 2004 a 31 de março de 2006, e assim prossegui também no setor educacional dando aulas de Direito do Trabalho e Finanças Públicas. Assim conciliei as duas funções.


JFR; O que representa a cidade de Rondonópolis para o senhor?

Dr. Marcílio; Passei por esta terra de Rondon em 1964, naquela ocasião eu senti que a cidade tinha vocação para o progresso. Aqui vi muitas características das cidades do interior de São Paulo e do Paraná. Rondonópolis é hoje uma das cidades que mais crescem no Brasil, é muito bom residir aqui.


JFR; O senhor e o Orani de Araújo, juntamente com outros cidadãos rondonopolitanos são pioneiros no tocante a implantação da instituição Sub-Delegacia do Trabalho em Rondonópolis. Como se deu a implantação?

Dr. Marcílio; Vou citar aqui duas senhoras dona Cecília e dona Paulin, cujos os sobrenomes não me recordo, elas inicialmente cederam parte de suas casas onde tudo começou. Depois os atendimentos eram feitos numa residência ao lado do prédio onde funciona o Escritório de Contábil Rondo Leste do nosso amigo Hisahiro Kida. O chefe do escritório era o Orani, quando ele saiu eu entrei, logo em seguida eu inaugurei a Sub-Delegacia do Ministério do Trabalho em Rondonópolis no ano de 1997.

JFR; Encerrando essa entrevista, desde já agradecemos, pela atenção, por gentileza deixe a sua mensagem final;

Dr. Marcílio; Quero agradecer ao Jornal Folha Regional por está oportunidade, e dizer especialmente para os jovens, que o exercício do bem, e a boa conduta sempre valerão a pena.


Comente, sua opinião é Importante!